payday loans

Blog de Casamento entrevista: Tatiana Kuhnert – Vídeos Animados

Como não poderia ser diferente, Tatiana Kuhnert, designer formada e pós-graduada pela PUC-RJ, entrou nesse mercado através do seu próprio casamento, em outubro de 2005.

Especializada em animação, resolveu fazer uma surpresa para seu noivo, preparando um vídeo diferente daqueles foto clipes tradicionais. E a surpresa deu tão certo e fez tanto sucesso, que ela percebeu ali uma grande oportunidade, já que não havia nada parecido com aquele produto no mercado, e resolveu apostar na ideia.

Adoro tudo que envolva tecnologia e o trabalho da Tati, que acompanho quase desde o ínicio, sempre me chamou a atenção. Por isso, resolvi fazer uma entrevista bem descontraída para que vocês possam conhecer um pouco mais sobre essa criativa profissional por trás dos badalados vídeos animados:

 

– Com quanto tempo os noivos devem te procurar e o que eles devem fornecer para você poder criar o vídeo?

T.K.: Na verdade, esse tempo vai variar, dependendo do mês de procura e da complexidade do roteiro. Como o segundo semestre costuma ter muito mais casamentos, eu peço mais tempo, mas, normalmente, a média é entre 30 a 60 dias. Esse seria um prazo razoável. Três meses seria o ideal para meses mais procurados como setembro e outubro. Mas tudo vai depender do que o casal nos passa de informação sobre a história.

Quanto ao que eles devem fornecer, depois de montarmos a história, eu peço as fotos, de acordo com as cenas, e muitas vezes nós tiramos as fotos dos casais pra recolhermos o máximo de expressões presentes no roteiro. O importante é que os noivos tragam uma ideia inicial do que querem, pois assim conseguimos criar algo mais certeiro, sugerir alguma solução com a carinha deles.

 

– Acontece dos noivos chegarem com uma ideia, você dar uns toques e sair uma coisa completamente diferente?

T.K.: Sim, acontece, pois você pega característiscas da pessoa que você pode explorar durante o processo. Muitos casais chegam querendo algo parecido com algum vídeo que já fizemos. Aí, conversando com eles, eu tiro dicas de suas personalidades e forneço uma nova alternativa, criando uma nova concepção. O vídeo acaba ficando diferente do que já existe. Vai depender da abertura do casal a algo que foge dos modelos.

 

– Conte um pouco sobre as etapas de criação

T.K.: Normalmente, a gente começa com uma reunião para nos conhecermos. Faço um briefing, mostro alguns vídeos para as noivas que não conhecem o trabalho (algumas já viram todos os vídeos e já chegam querendo um específico… rs). E com base na história contada, criamos um pré-roteiro.

No pré-roteiro, a gente já indica as cenas; se tiver locução, indicamos as falas; ou havendo legendas, sugerimos o teor das legendas; e vamos ajustando esse roteiro até o casal aprovar.

Aprovando, aí conseguimos passar o valor final do trabalho, pois tudo dependerá do roteiro.

A partir daí, é que começamos a solicitar as fotos necessárias. Se eles puderem tirar novas fotos com as expressões que o roteiro exige, melhor ainda! Pois nem sempre eles possuem fotos que deem sentido à cena.

Vamos tocando o trabalho, conforme o retorno dos noivos com as fotos. Aí, partimos para fase do storyboard, onde a gente pega o roteiro e faz uma previsão das cenas, enquadramento, o que vai entrar, o que ficará de fora, quais o elementos que farão parte de cada cena.

Então, partimos enfim para o computador, montando os layouts. Escolhemos uma palheta de cores de acordo com o estilo da noiva. Às vezes, pergunto sobre as cores da festa, mas isso não é fundamental, nem é obrigatório ter no vídeo, pois vai ficar pra vida toda de recordação e não precisa necessariamente combinar com a festa.

Montados os layouts de todas as cenas, pegamos as fotos e finalizamos os personagens. Com isso feito, mandamos para a primeira aprovação. Eles verão a parte estática e se precisar alterar alguma coisa, por exemplo o vestido no dia do pedido era de outra cor, nós mudamos.

Tendo a aprovação, nós começamos a parte de animação, que demora mais um pouquinho e chegamos à parte da sonorização. Depois disso tudo, enviamos para a aprovação final.

Estando tudo certo, entregamos dois dvd´s (sendo um de backup) e um cd, este com o vídeo convertido em na extensão “wmv”, caso os noivos queiram assistir no computador ou lançar o vídeo no youtube para os amigos.

Como você pode ver, é um processo demorado, pois, além de ser um produto artesanal, exige um feedback constante do casal.

 

– Você trabalha sozinha ou possui uma equipe?

T.K.: Eu comecei sozinha, mas o acúmulo de funções me levou a montar uma pequena equipe para me ajudar.

 

– Qual a maior dificuldade no processo de elaboração?

T.K.: São duas: uma é quando o cliente não dá o feedback, pois isso atrasa todo o processo de criação; a outra é quando querem homenagear muitas pessoas, então querem que tenham muitos personagens no vídeo. O problema nem é o número de personagens, mas a dificuldade de se conseguir fotos boas das pessoas, pois o casal normalmente quer fazer surpresa e não tem como pedir as fotos. Aí, arrumam fotos que não se encaixam bem para o vídeo.

 

– Existe algo em especial que você adora que as noivas peçam?

T.K.: Essa é fácil! Adoro quando pedem algo diferente! Acho super desafiador. Faz a gente pesquisar mais e acaba surgindo uma novidade, como o vídeo com o pedido de casamento. Foi super bacana de se fazer, foi uma proposta nova. Pudemos trabalhar em parceria com um ilustrador. Tivemos a oportunidade de trabalhar com uma técnica que não estávamos acostumados a usar. Foi muito legal.

 

– Dentre as histórias que você pode “contar”, qual a que mais te marcou?

T.K.: Posso ser romântica? A minha! (risos…) Claro que toda história me cativa de uma forma, afinal, me envolvo bastante ao conhecer os noivos, mas a minha é especial. Acho muito legal uma coisa pessoal, feita com muito carinho e totalmente despretenciosa, ter se tornado o marco de um trabalho que gosto tanto.

 

– O que acontece mais: surpresa para um dos noivos ou ambos participam da escolha do vídeo?

T.K.: Olha, eu não tenho uma estatística oficial, mas acho que é páreo duro. Ultimamente, o que tem acontecido bastante são noivos querendo fazer surpresa para suas noivas.

Nota do Fabio: O vídeo abaixo foi exibido em uma sala de cinema aqui do Rio de Janeiro e a noiva não sabia de nada. Obviamente, o final foi feliz. 😀

 

 

– Os noivos costumam participar ativamente do processo ou “atuam” apenas como coadjuvantes?

T.K.: É interessante, pois os noivos gostam muito dos vídeos animados. Acho que é por ser um produto em que eles participam mais. Chega a ser engraçado, em feiras de noivas, enquanto elas estão vendo vestidos, convites, etc, você pode prestar atenção, tem um ou outro noivo olhando pra tv e vendo o vídeo.

 

– Vídeo animado, “Save the Date”, “obrigado animado”, “papelaria digital”, “vídeo convite animado”… Você diz que esse tipo de arte te permite criar qualquer coisa. O céu é o limite?

T.K.: Espero que sim… (risos…) É claro que existem limites técnicos, limites de tempo, mas quanto à criatividade espero que não haja limites. Por exemplo, o scrapbook animado foi uma novidade criada para suprir a necessidade de uma noiva, que já tinha fechado um roteiro e que acabou estourando o orçamento. Acabamos criando um produto novo e mais acessível para quem tem orçamento mais apertado, só que sem perder a qualidade.

 

– A tecnologia de transmissão em Alta Resolução (HD) e essa onda de filmes em 3-D podem influenciar os vídeos animados nos próximos anos? Quais são as suas perspectivas para evolução do vídeo animado? E como mantê-lo como um produto atrativo?

T.K.: Nós já entregamos o vídeo em HD tanto para os casamentos como para empresas, nos vídeos corporativos. Claro que se a noiva quiser, é perfeitamente possível ter o vídeo animado em Blu Ray, mas no dia do casamento normalmente o que temos disponível pra passar o vídeo é um dvd player .

O 3-D é um assunto que a gente já estuda há um tempinho, mas acontece que o aluguel de uma tv 3-D, necessária para a transmisssão, é muito caro. Para a pessoa fazer algo do gênero em um casamento é bem complicado, financeiramente falando. Além disso, você só consegue ver o efeito 3-D na tv em determinados ângulos, o que limitaria o número de convidados que conseguiriam assistir o vídeo.

Quanto às perspectivas, a animação em si já existe antes mesmo do cinema, portanto, eu acho que nunca vai cansar. Sempre surgirá um jeito novo de contar a história, basta estar aberta a novas ideias, pois existe muita coisa a ser explorada na animação.

E como mantê-lo como um produto atrativo? Se você souber a resposta, me conta… (risos). Brincadeiras à parte, a animação é uma coisa que está sempre se reinventando. Por isso, acho que será sempre um produto atrativo.

 

– Fale um pouco sobre a sua última novidade, o “Porta retrato digital”…

T.K.: O Porta retrato digital pode ser colocado na mesa de café ou chocolates com uma animação de agradecimento para os convidados. Uma forma de encantar até no final da festa. Esse foi o primeiro uso que divulgamos do porta retrato, mas as finalidades são inúmeras: presente de dia dos namorados com uma mensagem bonita e montagem com fotos, ou até com uma parte da história do casal em animação; presente de dia das mães e outras datas comemorativas; o porta retrato pode ficar com uma animação passando na sua casa quando você receber seus amigos. Pode estar no quarto das crianças, enfim, não tem limitação!

Uma coisa bacana que lançamos junto do porta retrato foi a animação em stop motion com bonecos, nesse caso, com os noivinhos da ilustradora Nanda Teixeira. Mais uma possibilidade.

 

– Qual a sensação de ver que tudo deu certo no final do evento?

T.K.: Primeiro de tudo, é uma sensação de alívio… (risos…) Principalmente, quando acontece de eu estar presente no casamento e ver a aprovação estampada no rosto dos convidados. Depois, uma sensação de orgulho e satisfação com o trabalho, pois é muito gratificante receber o feedback dos meus clientes, seja por email ou telefone, contando que o vídeo fez o maior sucesso. É um privilégio poder trabalhar com o dia feliz de uma pessoa.

 
———————————————————————————————————————–

Nota do Fabio: Tati, agradeço de coração pela paciência e por topar essa entrevista. Só posso te desejar ainda mais sucesso e prosperidade em sua vida, pois você merece!

———————————————————————————————————————–

Se gostou deste post, considere assinar o RSS Feed Completo do blog! Ou então subscreva o BLOG DE CASAMENTO e receba as atualizações por e-mail!

Se preferirem algo mais dinâmico, também tenho Twitter, assim como a Evento Atual, empresa de decoração e cerimonial de casamento da qual faço parte e que atende as cidades do Rio de Janeiro e Niterói.

E colaborem com este autor que lhes escreve a montar um plano de publicidade (media kit) com o objetivo de captar anunciantes para custear a hospedagem e a manutenção do blog, bem como aplicar melhorias e adquirir mais prêmios para sorteios. Basta preencherem a pesquisa de Perfil do leitor do blog Eventualidades.

Ninguém é obrigado(a) a participar, mas, se puderem, me ajudarão muito. E não precisam se preocupar, pois as informações submetidas são 100% confidenciais e nem mesmo eu saberei de quem foram as respostas. Serão todas(os) colaboradoras(es) anônimas(os). 😉

———————————————————————————————————————–

Outros posts que você não pode deixar de ler:

About Fabio Trigo

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, Fabio de Macedo Trigo cresceu em Niterói, onde mora desde os dois anos de idade. Sua história com casamentos é simples e ao acaso, sem grandes enredos ou revelações fantasiosas.


2 Respostas para “Blog de Casamento entrevista: Tatiana Kuhnert – Vídeos Animados”

  1. Ameiiii… diferente, criativo e inovador! Parabéns!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Fabio Trigo Entrevista | Tatiana Kuhnert - 19/10/2014

    […] E por falar na entrevista, é só ir lá no blog dele pra conferir na íntegra! O link é esse. […]

Deixe uma Resposta

Gostou do artigo e quer comentar? Então, LEIA ANTES ALGUMAS REGRAS!

Os comentários deste blog são moderados. Só serão publicados os que estiverem de acordo com a boa educação e respeitem os seguintes itens:

- Respeito é FUNDAMENTAL: pense nos outros comentaristas, no site e no autor;
- Seu comentário precisa estar relacionado com o assunto do post, a não ser que esteja replicando outro comentário;
- Leia os comentários anteriores para ter certeza de que sua dúvida já não foi respondida;
- Para mostrar que gostou do artigo, ao invés de comentar apenas "Gostei", "Legal", etc. divulgue o artigo na sua rede social favorita;
- Não use palavras de baixo calão;
- Não escreva em caixa alta;
- Não comente como anônima (o);
- O uso do bom humor é sempre bem vindo;
- Não use o comentário como uma forma de publicidade (Spam).

Obrigado, desde já, pela compreensão.